Tuesday, February 08, 2011

MEU PRIMEIRO COMPACTO SIMPLES VIRTUAL DE 2011

Ano novo, vida nova (inclusive no posto de assessor da gravadora Sonarts), projeto novo, parcerias novas e até instrumento novo.

Acabo de incluir duas canções de meu novo projeto, Os Microssambas, só de sambas meus com menos de dois minutos de duração, a sair no máximo até abril (bem que eu gostaria de ter lançado ainda em fevereiro!).

Um deles, "Feliz Aniversário, Minha Flor", é um dos primeiros resultados de uma nova parceria , com a compositora, cantora, vozterapeuta e simpatia-em-pessoa Sonya Prazeres, cuja página no Caiubi também merece ser visitada (vale a pena, pode ir passar lá que eu espero!). Quem sabe este nosso samba-choro se torna um clássico da canção de aniversário a brasileira, na linha da "Canção de Aniversário" de José Maria de Abreu ou "Ainda Queima A Esperança" de Raul Seixas. E o novo instrumento a que me referi é pandeiro de samba e choro (não a pandeirola conhecida como "pandeiro de Rita Lee" ou "de 'Help!" dos Beatles"), que comecei a tocar no ano passado; minha estreia pública foi agora em dezembro num sarau do Caiubi, e esta é a primeira canção minha que gravei com esse instrumento a ser lançada ao público (precedida de meu arranjo em samba-choro para "Garçom" de Reginaldo Rossi, que lancei numa lista de discussão de música dois dias antes e também pode ser ouvida aqui mesmo, mais acima).

O outro microsamba é "Cadê O Doce", que compus como resultado da sincronicidade (estou me libertando da palavra-cacoete "coincidência") que fez desta semana que passou uma espécie de "semana afro". Explico: nos últimos sete dias fui agradavelmente bombardeado por canções de inspiração africana. Começou precisamente a 31 de janeiro com a participação na Segunda Autoral do Caiubi da cantora Marisa Ricco, cujo primeiro álbum, Contando Histórias (que acaba de sair pela Sonarts!), tem muita influência afro. Daí tive a dose dupla de "Abayomi", tanto a canção da citada Sonya Prazeres em parceria com Luhli & Lucina (ainda inédita em disco, mas que pode ser ouvida na página dela do Caiubi) quanto o grupo carioca Abayomi Afrobeat Orquestra (excelente para quem se interessa por fusões de pop e afro, desde Santana na primeira fase, Ben Jor, Osibisa, Fela Kuti, Olodum e tantos outros). Sem falar na trilha do filme de animação Donkey Kong que meu filho me mostrou (e que retribuí mostrando a ele um CD de música folclórica marroquina com faixas bem ritmadas - Morocco Crossroads Of Time, disco-e-livro lançado pela Ellypsis Arts em 1995). Bom, tudo isso me levou a compor "Cadê O Doce?", um samba de roda bem a meu estilo, e que apresentei ao mundo na Segunda Autoral seguinte, com um belo "plus a mais": participação de Marisa Ricco, que nessa Segunda Autoral fez show de lançamento de seu CD. Ouça este meu "compacto" aqui:

http://clubecaiubi.ning.com/profile/AyrtonMugnainiJr

Estas e outras canções minhas também puderam ser ouvidas - e até vistas - nos programas virtuais Rádio Pax e TV Pax, apresentados por outro mestre da simpatia ambulante, o cantor, compositor e tecladista Tato Fischer (por sinal, acabo de completar três anos como integrante d'A Banda liderada por ele); participei da edição de 10 de fevereiro, às 10h (horário de Sampa). Endereços:

dopranaaluz.blogspot.com
www.tvpax.com.br
www.radiopax.com.br

1 Comments:

At 12:36 PM, Blogger birasblog said...

Grande artista!

 

Post a Comment

<< Home